Ouça agora

MANHÃ SHOW

com ELISIANE LUDWIG

Saúde

Empresa dos EUA anuncia que primeiros testes em humanos têm resultados favoráveis

  • 18/05/2020 - 13:17
Empresa dos EUA anuncia que primeiros testes em humanos têm resultados favoráveis
Reprodução/Internet

A farmacêutica Moderna dos Estados Unidos divulgou na segunda-feira (18) que a primeira vacina contra o coronavírus a ser testada em pessoas parece ser segura e capaz de estimular uma resposta imune contra o vírus. As descobertas são baseadas nos resultados das oito primeiras pessoas que receberam duas doses da vacina experimental, a partir de março. As informações são do Jornal The New York Times.

Essas pessoas, voluntários saudáveis, produziram anticorpos que foram testados em células humanas no laboratório e foram capazes de impedir a replicação do vírus - o principal requisito para uma vacina eficaz. Os níveis dos chamados anticorpos neutralizantes correspondiam aos encontrados em pacientes que se recuperaram após contrair o vírus na comunidade.

Dados limitados da fase inicial , no entanto , deixam muita incerteza em torno do sucesso potencial da vacina.

O anúncio de Moderna veio apenas alguns dias depois que o presidente Trump nomeou líderes pelo esforço do governo federal para acelerar o desenvolvimento de uma vacina, e a empresa disse que está seguindo um cronograma acelerado, com a segunda fase envolvendo 600 pessoas para começar em breve, e uma terceira fase, que começará em julho, envolvendo milhares de pessoas saudáveis. A Food and Drug Administration deu a Moderna a aprovação para a segunda fase no início deste mês.

Se esses testes derem certo, uma vacina poderá ficar disponível para uso generalizado até o final deste ano ou no início de 2021, disse o Dr. Tal Zaks, diretor médico da Moderna, em entrevista. Quantas doses podem estar prontas não está claro, mas o Dr. Zaks disse: "Estamos fazendo o possível para alcançar o maior número possível de milhões".

O governo americano investiu 500 milhões de dólares para o desenvolvimento da potencial vacina.

Fonte: Redação