Horário sem programação!

Agricultura

Emater avalia perdas nas lavouras de trigo após fortes geadas

  • 25/08/2020 - 10:14
Emater avalia perdas nas lavouras de trigo após fortes geadas
Nelsídio Martens

A forte massa de ar polar que atingiu a região trouxe prejuízos para a agricultura. Estimativas iniciais apontam que até 30% da safra de trigo pode ter sido perdida em razão do frio intenso e da ampla geada. Áreas de baixadas da região Noroeste registraram entre sexta e sábado temperaturas negativas.

Há relatos de produtores de que foi a pior geada tardia dos últimos 30 anos e de perdas quase totais em algumas lavouras de trigo e de quebra ainda nas culturas de milho, canola e aveia. Ainda não se sabe o tamanho das perdas.

A Emater está realizando o levantamento das perdas. Conforme o técnico agrícola Leornardo Rusctick, nas primeiras avaliações a campo foi constatado que os prejuízos são bastante variáveis, em algumas lavouras eles podem ser totais, enquanto em outras serão mínimos.

Conforme Rustick, o trigo é tolerante e beneficiado por baixas temperaturas, no entanto, o cereal pode sofrer prejuízos quando submetido a temperaturas muito baixas, na fase de espigamento, quando suas estruturas reprodutivas estão expostas.

A maioria dos produtores conta com a cobertura do seguro agrícola para a quitação do financiamento junto aos agentes financeiros. Para acionar o seguro, porém, é preciso comprovar com laudo técnico que, por causa das perdas, não será possível cobrir os custos de produção.

Rustick orienta os produtores a seguirem as recomendações técnicas e seguir com os tratos culturais adequados onde as perdas não comprometeram a produção a fim de evitar o agravamento das mesmas.

- Os preodutores estão preocupados por que as lavouras vinham em um potencial muito bom. Um dos melhores desenvolvimentos da cultura dos últimos anos. Mas não dá para se desesperar. Já estamos fazendo o levantamento e os dados dos estragos serão consolidados em uma semana. Mas não podemos dizer que está tudo perdido - destaca Rustick.

Cultura marcada por altos e baixos nas últimas safras, o trigo voltou a despertar o interesse de muitos agricultores neste inverno. A perspectiva de bom preço de comercialização do produto levou os produtores a apostarem no cereal, considerado o carro-chefe da safra de inverno no Rio Grande do Sul, um dos líderes da produção brasileira ao lado do Paraná. Em Três de Maio, de acordo com a Emater, foram plantados 9,5 mil hectares, quinhentos a mais do que na safra passada.

Fonte: Redação