Ouça agora

RADIOJORNALISMO

com ALEXANDRE DE SOUZA

Agricultura

Governo avalia zerar tarifa de importação de soja para baratear cesta básica

  • 11/09/2020 - 11:08
Governo avalia zerar tarifa de importação de soja para baratear cesta básica

Para tentar frear a disparada de preços de produtos agrícolas, assim como fez com o arroz, o governo pode zerar a tarifa de importação da soja, atualmente em 10%. A informação é do jornal O Globo. A Camex zerou na quarta-feira (09/09) a Tarifa Externa Comum (TEC) para uma cota de 400 mil toneladas de arroz.

A medida iria até o final do ano, para uma quantidade limitada da oleaginosa que vier de países de fora do Mercosul. A ideia é aumentar a oferta no mercado doméstico, o que contribuiria para reduzir o preço de produtos. Além do óleo de soja, vários alimentos processados, como maioneses e achocolatados, usam derivados da oleaginosa na sua produção. Já o farelo é usado como ração animal e seu preço influencia no valor final de carnes suínas e bovinas.  

Integrantes da área econômica estão preocupados que a combinação entre preços elevados dos alimentos no mercado externo e real desvalorizado frente ao dólar vai estimular ainda mais as exportações do agronegócio, incluindo a soja. Com isso, o produto pode faltar ou ficar mais caro.

Maior produtor e exportador global, o Brasil enfrenta oferta restrita de soja após embarques recordes, especialmente para a China. Se a TEC cair, a soja poderia vir dos Estados Unidos, que está começando a colher.

Os altos preços da soja também estão interferindo no mercado de combustíveis, com o governo reduzindo temporariamente a mistura de biodiesel no diesel 12% para 10%, para garantir oferta. Importações de soja pelo Brasil poderiam evitar, por exemplo reduções na mistura.

O Brasil deve encerrar o mês de setembro com exportações de cerca de 80 milhões de toneladas de soja no acumulado do ano, um volume muito perto dos patamares históricos de cerca de 83 milhões vistos em 12 meses de 2018, após uma concentração mais forte de embarques no primeiro semestre.

 

Fonte: Redação