Ouça agora

RADIOJORNALISMO

com ALEXANDRE DE SOUZA

Esportes

Grêmio vence o Fluminense e se aproxima dos líderes do Brasileirão

Com assistência de Churín, Pepê marcou o gol do jogo no Maracanã

  • 08/11/2020 - 22:34
  • Atualizado 08/11/2020 - 22:46
Grêmio vence o Fluminense e se aproxima dos líderes do Brasileirão
Grêmio levou a melhor no Maracanã, mesmo com time misto - Jorge Rodrigues / AGIF/Estadão Conteúdo

O Grêmio, de fato, decolou no Brasileirão. A vitória deste domingo (8) sobre o Fluminense, fora de casa, por 1 a 0 (gol de Pepê), dá ao time de Renato Portaluppi uma nova possibilidade de conquista que, em determinado momento do primeiro turno, pareceu impossível. Ao final da 20ª rodada, o Tricolor está na oitava posição, é verdade, mas a apenas seis pontos do Inter, atual líder, e tem um jogo a menos — contra o Goiás, na Arena. Faltando ainda 57 pontos a serem disputados, não dá para descartar a briga. 

Para o jogo do Maracanã, Renato rodou alguns jogadores, como já era esperado, dada a proximidade com a Copa do Brasil, mesmo que o adversário das quartas de final esteja na Série B e tenha jogado em Pelotas no sábado. Na comparação com a equipe que passou pelo Juventude na quinta-feira, treinador gremista tirou a defesa inteira: Vanderlei, Victor Ferraz, Geromel, Kannemann e Cortez, colocando Paulo Victor, Orejuela, Rodrigues, David Braz e Diogo Barbosa.


O meio contou com os retornos de Darlan e Jean Pyerre, e na frente Pepê ganhou a companhia de Luiz Fernando e de Churín, que estreou como titular. No Fluminense, Odair Hellmann perdeu Yago, que testou positivo para covid-19, e lançou como titulares Wellington Silva e Fred mais adiantados.


A partida começou estudada, com mais erros ofensivos e acertos defensivos. Só aos 11 minutos ocorreu um lance de perigo. Após uma cobrança de falta para a área, Churín ganhou no alto e cabeceou. Muriel ficou apenas torcendo, e a bola bateu na trave, para fora.

O Grêmio seguiu controlando a partida mesmo que não tivesse a posse da bola. O Fluminense recuava e só tentava dar combate a partir da metade do campo. Essa falta de pressão de parte a parte esfriou um pouco mais o jogo. Tanto que só aos 25 houve outra conclusão relativamente perigosa. Hudson recebeu de Wellington Silva, ajeitou e chutou. Paulo Victor defendeu mas deu rebote, e Wellington Silva passou da bola, não aproveitando a oportunidade.

Quem aproveitou foi o Grêmio. Aos 28, Luiz Fernando partiu em velocidade pela direita e notou um espaço milimétrico por onde entrava Churín. O centroavante recebeu, girou e chutou cruzado. Pepê fechava no segundo pau e apenas empurrou para o gol vazio: 1 a 0.

A vantagem deu ainda mais tranquilidade ao Grêmio, que seguia dono da partida no Maracanã. A missão era controlar as investidas do Flu e aproveitar a ansiedade. Cumpriu praticamente tudo.

Só foi ameaçado mesmo aos 42. Danilo Barcelos cobrou escanteio na área, Fred antecipou e cabeceou. Atento, Paulo Victor fez grande defesa, garantindo a vitória no primeiro tempo. 

Os treinadores fizeram três modificações no intervalo. Odair tirou Michel Araujo e Caio Paulista para pôr Paulo Henrique Ganso e Marcos Paulo. No caso de Renato, a mexida foi forçada: Pepê alegou desconforto muscular e saiu para a entrada de Everton.


As alterações nas equipes não se refletiram no panorama do início do segundo tempo. O Fluminense tinha a bola, mas pouca criatividade. Por isso, precipitava seus lances, e o Grêmio aproveitava-se desses erros para contra-atacar. Em um dos contragolpes, Jean Pyerre passou para Churín, que bateu por cima de Muriel. A bola bateu no travessão. Mas o lance foi invalidado por impedimento do centroavante.

A forma com que o Grêmio administrava a partida dava segurança para não correr riscos e ainda investir em estocadas. Em uma delas, Luiz Fernando arrancou pela direita e chutou. Muriel defendeu parcialmente, mas deu sorte que o rebote não sobrou em condições de finalização para Everton.

Pouco antes dos 20 minutos, Churín cansou e deu lugar a Ferreira. O atacante deu velocidade ao ataque. E em uma tentativa pela esquerda, obrigou Muriel a fazer uma grande defesa. 

Aos 36, logo depois das entradas de Thaciano e Isaque nas vagas de Luiz Fernando e Jean Pyerre, Ferreira teve a bola para matar o jogo. Ferreira correu o campo inteiro pelo lado esquerdo, driblou Nino e bateu colocado, para fora. Na sequência deste lance, Felipe Cardoso deu o primeiro chute do Fluminense na segunda etapa.

Pouco depois, outra oportunidade para liquidar: Ferreira arrancou de novo e desta vez serviu Thaciano. Cara a cara com o goleiro, ele bateu e Muriel salvou.

Se faltou o gol da tranquilidade, ao menos o Grêmio não correu riscos para resistir. O time decolou e agora vê o topo da tabela bem mais próximo.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH