Ouça agora

JORNAL DO MEIO DIA

com PAULO MARQUES

Saúde

Argentina começa contagem regressiva para vacinação contra o coronavírus nesta terça-feira

Profissionais da saúde que atendem os infectados pela covid-19 e guardas de hospitais públicos e privados serão os primeiros

  • 29/12/2020 - 06:22
Argentina começa contagem regressiva para vacinação contra o coronavírus nesta terça-feira
Reprodução/internet

O governo argentino começa nesta terça-feira (29) a operação para aplicação da vacina russa Sputnik V em todo o país. O foco inicial serão os profissionais de saúde que atendem os infectados pela covid-19 e os guardas de hospitais públicos e privados, segundo o jornal La Nacion. Alguns distritos incluíram os trabalhadores essenciais e grupos de risco. Outros permitiram o registro antecipado para a população em geral. 

A prefeitura de Buenos Aires recebeu 23,1 mil doses iniciais e ordenou que a operação de vacinação seja realizada em 17 hospitais públicos e 20 estabelecimentos privados.


Enquanto isso, o governo da província de Buenos Aires providenciou para que a imunização seja realizada em 600 centros de toda a região, que nesta primeira etapa receberão 123 mil doses, das quais 80 mil irão para os municípios da Grande Buenos Aires. 
Conforme informado pela província em comunicado, os profissionais de saúde que optarem por aplicar a vacina devem se cadastrar em um site para serem imunizados. 

Para a próxima fase de vacinação, serão incluídos os trabalhadores de segurança e educação, maiores de 60 anos e que façam parte de grupos de risco. As inscrições online, porém, foram abertas a toda a população: nesta segunda-feira (28) já eram 315 mil cadastrados.

Em Córdoba, a previsão é de que 1,3 mil pessoas trabalhem na operação de vacinação dos profissionais de saúde. A província tem 19,5 mil doentes por coronavírus. Quem receber a inoculação terá de aguardar no local por 30 minutos para que seja observado se haverá alguma reação. A vacinação é optativa, e o governador, Juan Schiaretti, adiantou que por enquanto não será imunizado.

Em Santa Fe haverá 300 centros de vacinação e 21 locais de armazenamento para as doses. Até março, o objetivo é chegar a 1,2 milhão de imunizados. Já em Mendoza, a médica pediatra Isabel Del Pópolo falou ao jornal La Nacion que há opiniões divididas entre os profissionais da saúde sobre a falta de maiores dados a respeito do produto russo. Na província, 1.239 pessoas morreram de covid-19.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH