Ouça agora

REDE GAÚCHA SAT

Saúde

Secretária da Saúde de T. de Maio anuncia quem serão os primeiros a receber a vacina

  • 19/01/2021 - 14:00
  • Atualizado 19/01/2021 - 14:08
Secretária da Saúde de T. de Maio anuncia quem serão os primeiros a receber a vacina
Secretaria Estadual da Segurança Pública

Com a chegada das primeiras doses da vacina contra a Covid-19 na região na tarde desta terça-feira (19/01), a 14ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) se prepara para distribuir as 2,3 mil doses para os 22 municípios de sua abrangência. Ainda não está definida a quantidade de doses que cada cidade receberá.

Também serão enviados aos municípios os insumos necessários para a imunização, como seringas e agulhas descartáveis.

Em entrevista à Rádio Colonial nesta manhã, a secretária municipal da Saúde de Três de Maio, Jacira Taborda, disse que a vacinação na cidade seguirá os critérios definidos pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual da Saúde. Como as doses serão insuficientes para atender todas as pessoas que se enquadram nos grupos de risco definidos pelo Plano Nacional de Vacinação, terão prioridade agora os profissionais que atuam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Vicente de Paulo e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), além de idosos e profissionais de instituições de longa permanência, no caso de Três de Maio, o “Lar dos Idosos”.

Já os profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e os idosos em geral serão imunizados na segunda fase da vacinação, quando o município receber um novo lote de vacinas, o que ainda não tem data para ocorrer.

Um ato simbólico será realizado para marcar o início da imunização em Três de Maio. Mas a primeira pessoa a receber a vacina no município e o local do evento ainda estão sendo definidos.

Segundo o plano nacional de imunização do governo, as prioridades da campanha de vacinação são:

trabalhadores da área de Saúde;

idosos (acima de 60 anos);

indígenas;

pessoas com comorbidades;

professores (do nível básico ao superior);

profissionais de forças de segurança e salvamento;

funcionários do sistema prisional;

comunidades tradicionais ribeirinhas;

quilombolas;

trabalhadores do transporte coletivo;

pessoas em situação de rua;

população privada de liberdade.

Fonte: Redação