Horário sem programação!

Polícia

Corpo do pai dos goleiros Alisson e Muriel é encontrado após desaparecer em barragem em Lavras do Sul

José Agostinho Becker, 57 anos, foi visto com vida pela última vez às 17h de quarta-feira (24), quando mergulhava em uma barragem

  • 25/02/2021 - 05:35
Corpo do pai dos goleiros Alisson e Muriel é encontrado após desaparecer em barragem em Lavras do Sul
Alisson (E) e o pai José, em foto publicada no perfil do goleiro da Seleção no Instagram, no dia dos pais de 2020 - Instagram @AlissonBecker / Reprodução

O corpo do pai dos goleiros Alisson, do Liverpool, e Muriel, do Fluminense, José Agostinho Becker, 57 anos, que estava desaparecido desde às 17h desta quarta-feira (24), foi encontrado por volta das 22h50min por amigos que o procuravam no mesmo local onde tinha sido visto pela última vez, em uma barragem de sua propriedade. A informação é do Corpo de Bombeiros de Caçapava do Sul, que atende a ocorrência desde o começo da noite na localidade de Rincão do Inferno, a 48 km do centro de Lavras do Sul, na Região Central, e a 295 km de Porto Alegre.
As buscas com mergulhadores não podiam ser realizadas à noite, mas foram iniciadas na superfície pelos dois soldados inicialmente destacados para levantar informações sobre a região do desaparecimento. Amigos da família teriam encontrado o corpo e trazido até as margens da barragem, de acordo com os bombeiros.

O deslocamento entre o quartel do Corpo de Bombeiros e o local do desaparecimento leva cerca de 1h30min, segundo os próprios bombeiros. Não há sinal de telefonia móvel na barragem, que é parte da propriedade particular da família Becker.

José era goleiro amador e inspirou os filhos Muriel, 34 anos, e Alisson, 28, a escolherem a posição. Colorados, começaram a carreira no clube do coração da família. Tanto o Inter quanto o presidente do clube, Alessandro Barcellos, manifestaram notas de pesar pela morte de José Agostinho. O Fluminense, onde Muriel joga atualmente, também prestou condolências. 

Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH