Horário sem programação!

Saúde

Vereador alerta que municípios têm até hoje para aderir ao consórcio de vacinas

  • 05/03/2021 - 10:47
  • Atualizado 05/03/2021 - 10:47
Vereador alerta que municípios têm até hoje para aderir ao consórcio de vacinas

O vereador Alexandre Ott (PT) alertou, nesta manhã em entrevista à Rádio Colonial, que as prefeituras têm até hoje para assinar o termo de intenção em participar do consórcio público para a compra de vacinas contra a Covid-19.

O movimento é liderado pela Federação Nacional de Prefeitos (FNP). A entidade reúne as 412 cidades brasileiras com mais de 80 mil habitantes, mas os municípios menores também podem participar.

A previsão é que o consórcio seja efetivamente instalado até o dia 22 de março.

A ideia é que as prefeituras possam comprar as vacinas caso o Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, não seja capaz de suprir toda a demanda.

Alexandre Ott apresentou indicação para que a Prefeitura de Três de Maio faça as devidas adequações ao Orçamento de 2021 para viabilizar a aquisição direta das doses, diante da situação de extrema urgência em vacinar a população para preservar vidas e proporcionar a retomada segura das atividades econômicas.

Ott disse que a própria Câmara pode disponibilizar recursos para esta finalidade, até mesmo, se for necessário, cortando gastos

O vereador adiantou que, mesmo que os fabricantes não tenham vacinas disponíveis atualmente em nenhum lugar do mundo, os municípios precisam estar organizados para conseguirem comprar as doses quando houver essa possibilidade.

Conforme Alexandre Ott, uma das opções seria a compra da vacina russa Sputnik V, embora ela ainda não tenha aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A União Química, que fabrica o imunizante, já informou que cada dose tem um custo de 9 a 10 dólares. Segundo o parlamentar, para imunizar a população de Três de Maio, com duas doses, o custo para o município seria de R$ 2.440.000,00.

Caso o município manifeste interesse em fazer parte do consórcio, a Prefeitura terá que encaminhar, posteriormente, à Câmara de Vereadores um projeto de lei, autorizando a compra das doses para imunizar a população, que precisa ser aprovado em 15 dias.

A Frente Nacional de Prefeitos também está avaliando formas de financiar a aquisição dos imunizantes. Há três possibilidades principais: recursos do governo federal; financiamento por organismos internacionais e doações de investidores privados brasileiros.

Fonte: Redação