Ouça agora

EXPRESSO 94

com JOTA MORAES

Esportes

Com dois de Galhardo, Inter goleia Olimpia por 6 a 1 no Beira-Rio

Com dois de Galhardo, Inter goleia Olimpia por 6 a 1 no Beira-Rio

  • 05/05/2021 - 22:57
Com dois de Galhardo, Inter goleia Olimpia por 6 a 1 no Beira-Rio
Marco Favero / Agencia RBS

Um ídolo com a camisa 10, braçadeira de capitão, e goleada em jogo de Libertadores no Beira-Rio. Foi assim que Taison estreou na noite desta quarta-feira (5), após 11 anos longe do Inter, na vitória por 6 a 1 sobre o Olimpia, pela terceira rodada da fase de grupos. Os gols foram marcados por Cuesta, Edenilson, Galhardo (duas vezes), Yuri Alberto e Caio Vidal. Gonzáles descontou para os paraguaios.
Essa foi a maior vitória do Inter na Libertadores, superando o 5 a 0 sobre o The Strongest, em 2012. Além disso, foi a quarta goleada seguida da equipe de Miguel Ángel Ramírez nos últimos seis jogos — entre as vitórias, teve duas derrotas, para Always Ready e Juventude.

Dentro de campo, Ramírez deu indícios do que pretende para Taison. Quando a escalação foi anunciada, imaginava-se que o camisa 10 pudesse entrar como um extrema, na vaga de Patrick, aberto pela esquerda. Mas não foi o que se viu. 
O grande reforço do Inter para a temporada apareceu na linha de meio-campo, como um organizador, mais centralizado, à frente de Rodrigo Dourado e Edenilson. Assim, Mauricio foi deslocado para a ponta esquerda, com Marcos Guilherme (surpresa na escalação) na direita e Thiago Galhardo como centroavante.

E o início do jogo foi movimentado. O Olimpia tentava surpreender o Inter e adiantar as linhas. Conseguiu duas escapadas pelos lados, mas quem criou a primeira boa jogada ofensiva foi o Inter, com Taison, aos 3 minutos. O camisa 10 tabelou com Galhardo e invadiu a área, mas na hora do último passe acabou errando e os paraguaios se salvaram. A resposta veio rapidamente, com um chute de Sosa para fora.

A cada toque na bola, a qualidade superior de Taison ficava perceptível. Aos 8, ele fez boa jogada pela esquerda e mandou a bola para a área. Edenilson desviou para fora, mas o árbitro já marcava impedimento do camisa 8.

Nos minutos seguintes, o Inter tratou de desacelerar o jogo e rodar a bola em busca de espaços. Aos 16, Marcos Guilherme aproveitou erro do lateral-direito Benítez, tabelou com Galhardo, mas na hora de finalizar errou em bola. No lance seguinte, novamente Marcos Guilherme recuperou a bola e sofreu falta. Na cobrança, Moisés mandou nas mãos do goleiro.

Se tinha dificuldade para criar chances a partir dos toques pelo chão, novamente a bola área colocou o Inter na frente no placar. Aos 28 minutos, Rodinei (mais uma vez) cobrou escanteio perfeito para Víctor Cuesta, de peixinho, marcar o gol de cabeça. 

Após o gol, o Olimpia tentou avançar as linhas e o Inter teve mais espaço para contra-atacar. O que chamava atenção era que toda jogada de ataque passava pelos pés de Taison, que conseguia acionar Galhardo ou os extremas com toques rápidos.

As equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo. O Olimpia tentava marcar em cima, mas o Inter facilmente se desvencilhava dos adversários e trocava passes do meio para a frente. Aos 4, o time colorado recuperou a bola no ataque e Taison deu passe perfeito para Galhardo marcar, mas o árbitro assinalou impedimento.

No minuto seguinte, porém, Mauricio recebeu de Taison na esquerda e quando foi dar o passe a bola parou no braço de Benítez. Facundo Tello não teve dúvidas e marcou o pênalti. Na cobrança, Edenilson mandou no canto direito do goleiro e ampliou o placar no Beira-Rio.

O Inter quase marcou o terceiro aos 11, quando Cuesta cruzou para Marcos Guilherme, que chutou para fora. Alguns minutos mais tarde, porém, a bola entrou. Taison descolou bom passe, Galhardo fez o corta luz e a bola chegou em Marcos Guilherme, que finalizou para a defesa de Olveira. No rebote, o centroavante empurrou para o fundo das redes: 3 a 0.

O Olimpia até teve a chance para descontar aos 22, quando Lomba errou uma saída de bola dentro da área. Para a sorte colorada, Ojeda chutou para fora. Mas, aos 25, Galhardo recebeu belo passe de Praxedes, não perdoou e fez o quarto, de cavadinha. 

Quem achou que o Inter iria parar por aí, se enganou. Aos 31, Marcos Guilherme disparou e deu para Yuri Alberto, que só teve o trabalho de empurrar para dentro. E, aos 34, ainda deu tempo para Caio Vidal marcar um golaço de bicicleta e fazer o 6 a 0. No finalzinho, Gonzáles ainda descontou de pênalti. Mas foi uma goleada para ficar marcada na história, com a estreia de Taison no retorno ao Beira-Rio e o retorno de Saravia, que não jogava desde setembro de 2020 e deu o cruzamento na origem do último gol colorado.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH