Ouça agora

CORRESPONDENTE REDE GAÚCHA SAT

com REDE GAÚCHA SAT

Esportes

Inter fica no empate em casa com o Corinthians e se mantém no G-6 do Brasileirão

Lindoso abriu o placar no primeiro tempo, Giuliano e Fábio Santos viraram, mas Gustavo Maia deixou tudo igual nos minutos finais

  • 24/10/2021 - 18:42
Inter fica no empate em casa com o Corinthians e se mantém no G-6 do Brasileirão
Marco Favero / Agencia RBS

Se no jogo passado os minutos finais foram vilões, neste domingo o Inter foi o beneficiado. Com um gol aos 46 do segundo tempo, buscou um empate que parecia improvável contra o Corinthians. O time de Diego Aguirre saiu na frente com Lindoso, levou a virada de Luan e Fábio Santos (de pênalti). Nos acréscimos, Gustavo Maia fez o gol do 2 a 2 que manteve o Inter no G-6 do Brasileirão. 

Aguirre mandou a campo o time que se esperava a partir das confirmações das ausências de Saravia, com esgotamento físico, e Heitor, lesionado. Gabriel Mercado voltou a ser lateral direito, com Kaique Rocha e Cuesta na zaga. 

Moisés completou a defesa. No meio, retorno da dupla de Rodrigos: Dourado e Lindoso, mais Edenilson e Patrick. O ataque teve Taison e Yuri Alberto. No Corinthians, Sylvinho optou por Gabriel de volante, na vaga de Cantillo. O trio ofensivo foi escalado com Róger Guedes, Gabriel Pereira e a surpresa Vitinho.

O jogo começou equilibrado, com Inter e Corinthians se respeitando e analisando as possibilidades. O time visitante partia da criação na base dos passes, tendo Renato Augusto como referência, e o Inter apostava na velocidade da transição, com Taison.

Mas o gol colorado, já aos nove minutos, saiu de um misto  dos dois estilos. Começou com uma roubada de bola de Mercado no campo de defesa. O lateral partiu para o ataque, conduziu e enxergou Dourado pelo meio. O volante encontrou a infiltração de Taison, que fez o pivô para Patrick cruzar na área. Lindoso entrou como elemento surpresa e cabeceou forte, Cássio fez grande defesa, o próprio Lindoso pegou o rebote e Cássio quase defendeu, mas a bola cruzou a linha. Edenilson ainda empurrou para dentro, mas já havia sido marcado o 1 a 0.

A vantagem colorada não mudou imediatamente o panorama do confronto. O Inter seguiu jogando como se estivesse empatado, buscando sempre a verticalidade, mesmo que apressadamente. O lado esquerdo era o preferencial, com Moisés e Patrick. O Corinthians passou a incomodar. Aos 20, Vitinho recebeu na direita, trouxe para o meio e bateu, a bola foi desviada por Moisés e saiu em escanteio. Na cobrança, Gil antecipou a defesa e cabeceou para fora. 

Resposta do Inter levou sete minutos para ocorrer. Taison recebeu na intermediária, avançou, viu que tinha espaço e arriscou. Cássio, para não se complicar, colocou para escanteio.

O Corinthians conseguiu crescer a partir dos 30, quando Róger Guedes foi deslocado para a ponta esquerda e Gabriel Pereira, para a direita. Os dois até tiveram alguns lances de vantagens pessoais em dribles, mas encontravam um Inter concentrado defensivamente, pronto para impedir as conclusões. 

O primeiro tempo terminou sem grandes emoções de parte a parte. Em compensação, o segundo iniciou com o Inter tendo uma chance clara de ampliar. Aos quatro minutos, Johnny, que havia entrado no lugar de Dourado no intervalo, armou a jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. Yuri Alberto dominou, girou em cima de Gil e bateu. A bola explodiu na trave e saiu. 

Sylvinho fez duas trocas, percebendo a inoperância de seu time, com as entradas de Gustavo Mosquito e Du Queiroz. Eram 13 minutos. Aos 15, elas se justificaram. Renato Augusto recebeu no canto da área e passou para Gustavo. Ele percebeu a infiltração de Giuliano. Em posição legal, o camisa 11 fez valer a famosa Lei do Ex: cara a cara com Lomba, teve calma para driblar o goleiro e deixar tudo igual.

O Inter se desnorteou depois do gol. E no ataque seguinte, o Corinthians virou o jogo. De novo com Renato Augusto armando. Ele encontrou Róger Guedes na área. O camisa 123 foi cruzar e levou um carrinho de Johnny. Pênalti. Fábio Santos cobrou e converteu. 

Imediatamente, Aguirre chamou Mauricio, e o colocou no lugar de Lindoso. Com isso, Edenilson foi recuado para a segunda função, jogando mais centralizado. Pouco depois, mais uma troca, que envolveu, de novo, Edenilson. O jogador da Seleção foi para a lateral direita, com a entrada de Boschilia no lugar de Kaique Rocha.

As coisas davam errado, o Inter se precipitava e nem aquela jogada clássica de gol, com cruzamento com efeito procurante de Custa, funcionou. O zagueiro fez sua parte, acertando a bola na cabeça de Mauricio, mas a conclusão foi fraca, nas mãos de Cássio.

Na parte final, Moisés sentiu uma lesão. Aguirre mandou a campo Gustavo Maia, em uma tentativa desesperada de atacar. Deu tempo até de o jogo ser interrompido por uma invasão de torcedor, que foi detido logo que ingressou no gramado e levado detido. Quando tudo parecia derrota, o futebol pregou uma peça. Os mesmos acréscimos que tiraram pontos contra o Bragantino devolveram contra o Corinthians. Gustavo Maia, que nem deveria jogar, porque estava sendo esperado para uma audiência na Europa, fez um golaço, com um chute em curva, no ângulo. 

Ainda deu tempo para uma confusão logo depois. Os jogadores se embolaram, empurra daqui, puxa dali e Patrick e Xavier levaram cartão vermelho. Foi a senha para encerrar o jogo. O 2 a 2 deixou o Inter no G-6.

FICHA TÉCNICA
Brasileirão — 28ª rodada — 24/10/2021

Inter
Marcelo Lomba; Mercado, Kaique Rocha (Boschilia, 29'/2ºT), Cuesta e Moisés (Gustavo Maia, 39'/2ºT); Rodrigo Dourado (Johnny, int.), Rodrigo Lindoso (Mauricio, 22'/2ºT), Edenilson e Patrick; Taison e Yuri Alberto. Técnico: Diego Aguirre.

Corinthians
Cássio; Fagner, Gil, Raul e Fábio Santos; Gabriel (Du Queiroz, 13'/2ºT), Renato Augusto e Giuliano; Vitinho (Gustavo Mosquito, 13'/2ºT), Gabriel Pereira (Xavier, 35'/2ºT) e Róger Guedes. Técnico: Sylvinho.

Gols: Lindoso (I), aos nove minutos do primeiro tempo; Giuliano (C), aos 14, Fábio Santos (pênalti, C), aos 21, Gustavo Maia (I), aos 46 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Mercado, Dourado, Taison (I); Gabriel, Renato Augusto, Cássio (C).
Cartões vermelhos: Patrick (I); Xavier (C).
Local: Estádio Beira-Rio.
Arbitragem: Bruno Arleu de Araújo (Fifa), auxiliado por Rodrigo Correa e Daniel Parro. VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (todos do RJ).
Público: 13.126 (9.763 pagantes).
Renda: R$ 543.58.

Próximo jogo
Brasileirão — 29ª rodada
31/10/2021 — 18h15min
São Paulo x Inter

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH