Ouça agora

ALVORADA MUSICAL

com PAULO MARQUES - Jornalista Reg. Prof. MTE-16408

Saúde

Vacinação contra a gripe em Três de Maio inicia no dia 1º de abril

Vacinação contra a gripe em Três de Maio inicia no dia 1º de abril
Foto: Marcelo Bernardes/SES
  • 24/03/2024 - 19:47
  • Atualizado 24/03/2024 - 20:06

A campanha de vacinação contra o vírus influenza, que causa a gripe, inicia-se, oficialmente, nesta segunda-feira (25/03) no Rio Grande do Sul. Em Três de Maio, no entanto, a Secretaria Municipal da Saúde decidiu que a vacinação vai começar somente na outra segunda, dia 1º de abril. 

Conforme a secretária, Jacira Taborda, a decisão foi tomada em cojunto com a equipe de profissionais responsáveis pela aplicação das doses devido a atual demanda de pacientes com dengue, que procuram às Unidades Básicas de Saúde (UBS's) do muninicípio. Três de Maio tem neste domingo (24/03) 894 casos de dengue confirmados e 136 em investigação. Deste modo, as pessoas que se enquadram nos grupos prioritários, estabelecidos pelo Ministério da Saúde, deverão aguardar mais uma semana para receberem a vacina contra a gripe.

As vacinas começaram a ser distribuídas para as 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS) do RS no dia 19 de março. Conforme orientação da Secretaria Estadual da Saúde (SES), por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), os municípios já poderiam iniciar a aplicação das doses assim que recebessem os imunizantes. 

De acordo com o MS, a campanha de vacinação contra a gripe encerra no dia 31 de maio. O Dia D da Vacinação está programado para 13 de abril. 

Os grupos prioritários:

- Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

- Crianças indígenas de 6 meses a menores de 9 anos;

- Trabalhadores da saúde;

- Gestantes;

- Puérperas;

- Professores dos ensinos básico e superior;

- Povos indígenas;

- Idosos com 60 anos ou mais;

- Pessoas em situação de rua;

- Profissionais das forças de segurança e de salvamento;

- Profissionais das Forças Armadas;

- Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (independentemente da idade);

- Pessoas com deficiência permanente;

- Caminhoneiros;

- Trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso);

- Trabalhadores portuários;

- Funcionários do sistema de privação de liberdade;

- População privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).

Crianças que vão receber o imunizante pela primeira vez devem tomar duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas.

Postado por Alexandre de Souza - Rádio Colonial