Ouça agora

VOZ DO BRASIL

Educação

Maioria dos prefeitos da região acha que não é a hora certa para a volta às aulas presenciais

  • 21/09/2020 - 17:31
  • Atualizado 22/09/2020 - 09:20
Maioria dos prefeitos da região acha que não é a hora certa para a volta às aulas presenciais
Associação dos Municípios da Fronteira Noroeste

Reunidos em videoconferência ontem, os prefeitos da Associação dos Municípios da Fronteira Noroeste discutiram a retomada das aulas presencias, porém não tomaram nenhuma decisão concreta.

Participaram do encontro virtual, como convidados, o Coordenador Regional dos Secretários de Educação, Valmir Dilli titular da secretaria municipal da Educação de São José do Inhacorá e a vice-coordenadora e secretária da Educação de Independência, Zenaide Heinsch. Eles fizeram uma explanação aos prefeitos das principais dificuldades que os municípios enfrentam para garantir o retorno seguro de alunos, professores e funcionários de escolas em meio a pandemia.

Segundo os coordenadores, alguns municípios realizaram pesquisas com os pais e responsáveis por alunos a respeito do retorno das aulas nas quais 75% dos entrevistados disseram que não vão mandar os filhos para a escola, pois temem a contaminação.

Outro problema apontado pelos secretários municipais diz respeito ao quadro de pessoal, pois um número considerável de servidores está afastado por que pertencem ao grupo de risco.

Além disso, destacaram a necessidade de investimentos para adequar o quadro de pessoal dos estabelecimentos de ensino aos protocolos sanitários, em razão da necessidade de mais monitores para trabalhar, tanto no transporte escolar como em sala de aula, o que no momento não pode ser suprido devido ao período eleitoral e as contratações estão vedadas.

Dos 18 mandatários que participaram da reunião, em torno 60% entendem que ainda não é o momento de retomar as atividades presenciais nas escolas, enquanto 30% já autorizaram o funcionamento das instituições de ensino particulares e comunitárias ou estão planejando a volta das aulas presenciais.

Conforme o presidente da Amufron e prefeito de Boa Vista do Buricá, Vili Horbach, a entidade vai promover nova reunião no dia primeiro de outubro, para aprofundar o debate acerca dos prós e contras que o retorno escolar deve impactar.

A região completou duas semanas sob bandeira laranja no Modelo de Distanciamento Controlado do governo do Rio Grande do Sul e já pode promover o retorno às aulas presenciais para alunos da Educação Infantil, Ensino Médio, Superior e Técnico. No entanto, não basta apenas o decreto do governo estadual. Também é necessário que as prefeituras liberem o retorno das atividades.

Fonte: Redação